Ir para Conteúdo

Unilever Adere Ao Tratado Global Do Plástico Em Assembleia Da Onu

  • O Tratado contra a poluição plástica em escala global é uma iniciativa histórica da ONU na luta pela conservação do meio ambiente e tem como base o conceito de economia circular
  • Trata-se do acordo multilateral ambiental mais significativo desde o acordo de Paris
  • Incentivadora do Tratado, a Unilever é pioneira em utilizar plástico pós-consumo (PCR) em larga escala, atribuindo valor ao material após seu uso pelos consumidores e apoiando o combate à poluição plástica

São Paulo, 3 de março de 2022 – A Unilever Brasil acompanhou, junto a chefes de Estado, ministros do Meio Ambiente e outros representantes de 175 nações, a Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente e anuncia que é parte do Tratado Global do Plástico, cuja criação foi aprovada durante o encontro (UNEA-5, encerrado ontem, 2/3).

O documento, que terá vínculo jurídico e é considerado o pacto “verde” multilateral mais importante desde o Acordo de Paris, é uma resolução histórica para combater a poluição plástica e estruturar um acordo internacional até 2024 se concentrando em duas grandes frentes: reciclagem e redução do uso de plástico virgem.

O Tratado é um marco importante para o Brasil, quarto país que mais produz plástico no mundo, com 11,355 milhões de toneladas, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia, segundo levantamento do WWF (Fundo Mundial para a Natureza) com números do Banco Mundial.

Atuante nesse cenário, a Unilever quer usar sua escala e influência para criar mudanças positivas muito além de suas portas. A companhia sabe do seu papel fundamental na condução de inovações para reduzir o uso de plástico virgem, tornar as embalagens mais recicláveis e impulsionar a economia circular, que olha para todo o ciclo de vida do plástico, valorizando o material após seu uso reintegrando-o à cadeia de produção.

O fluxo de plástico para o meio ambiente deve ser interrompido, pois seu lugar é na economia, e um Tratado Global sobre poluição plástica, com padrões para a redução de uso de plástico virgem e aumento da reciclagem em sua essência, facilitará discussões abertas sobre todo o ciclo de vida do plástico, incluindo sua produção, design e descarte. É também um endosso aos compromissos globais que a companhia tem anunciado desde 2017.

A jornada da Unilever Brasil para o uso sustentável do plástico tem avançado a cada ano e influenciado a circularidade do material no país. Entre 2018 e 2021, a companhia reduziu o uso de aproximadamente 18 mil toneladas de plástico virgem em suas embalagens, equivalente ao peso de 65 das maiores aeronaves comerciais, ou a quase 80 piscinas olímpicas cheias de garrafas.

A Unilever é pioneira em utilizar resina pós-consumo em larga escala, atribuindo valor ao plástico após seu consumo e combatendo diretamente a poluição plástica; em vez de ser descartado em aterros, o material é coletado por cooperativas, catadores e outros parceiros, processado e transformado pela Unilever para retornar como uma nova embalagem.

Atualmente, todas as marcas de produtos para limpeza da casa, e muitos dos produtos de higiene pessoal, como xampus, condicionadores, cremes para pentear e cremes de tratamento da companhia utilizam resina reciclada em suas embalagens.

“O Tratado tem o objetivo de sensibilizar governos e a sociedade em geral sobre o uso e o descarte correto do plástico virgem e, certamente, ajudará a acelerar a transição de uma economia linear para uma economia circular efetiva, reduzindo a produção do material no mundo e criando condições adequadas para acelerar o crescimento de novos modelos de negócios, formatos e disponibilidade de plástico pós-consumo (PCR).

Como negócio, estamos buscando grandes transformações na redução de uso de plástico virgem e este é um importante passo que apoiará empresas como a Unilever a avançar em sua trajetória de redução e a fortalecer a cadeia circular do plástico”, disse Suelma Rosa, head de Sustentabilidade e Assuntos Corporativos da Unilever Brasil.

Em 2018, a companhia inovou com a marca TRESemmé ao lançar as garrafas mais leves do mercado, substituindo o plástico virgem por reciclado nas embalagens. Desde então, foram vários progressos como o alcançado pela marca OMO com o produto OMO para Diluir, que já utiliza 72% menos plástico na comparação com OMO Líquido.

Outro exemplo é a marca Love, Beauty and Planet, cujos produtos possuem frascos de plástico 100% reciclados e recicláveis. Em 2021, foi a vez da marca Arisco chegar a cinco toneladas de plástico 100% reciclável ao inovar, desde 2020, nas embalagens de sua linha de temperos.

O planejamento da Unilever para a sustentabilidade do plástico nos próximos anos é amplo. Nas metas do pilar “Um mundo livre de resíduos” do Unilever Compass – plano de negócio da empresa –, a companhia se compromete a reduzir pela metade o uso de plástico virgem em suas embalagens até 2025, reduzindo cerca de 100 mil toneladas de plástico em todo o mundo, equivalente ao peso de mais de 8 mil ônibus de dois andares em todos os países em que opera.

Outra meta é garantir que todas as embalagens da companhia sejam totalmente reutilizáveis, recicláveis ​​ou compostáveis.

Uma das partes mais inovadoras da estratégia da empresa – e elemento essencial para atingir suas metas – é usar outros materiais e a diretriz adotada pela companhia envolve 3 esferas: 1) Menos plástico, 2) Melhor plástico, 3) Nenhum plástico. Isto significa repensar como os produtos são projetados, desenvolvendo novos modelos de negócios, novo design de embalagens, e novas experiências de compra para os consumidores, substituindo o plástico por opções como metais, papel e vidro.