Ir para Conteúdo

A graphic of women working in science

Para onde uma carreira nas ciências pode te levar?

Conheça 12 mulheres que estão abrindo caminhos em funções STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) na Unilever. Elas são realizadas. Inovadoras. Inspiradoras. E temos orgulho de compartilhar suas histórias...

Nas áreas STEM – ciência, tecnologia, engenharia e matemática – as mulheres estão significativamente mal representadas. De acordo com dados do Fórum Econômico Mundial (WEF), apenas 30% dos pesquisadores do mundo são mulheres e menos de um terço das alunas optam por estudar matemática ou engenharia no ensino superior.

Nas áreas STEM – ciência, tecnologia, engenharia e matemática – as mulheres estão significativamente mal representadas. De acordo com dados do Fórum Econômico Mundial (WEF), apenas 30% dos pesquisadores do mundo são mulheres e menos de um terço das alunas optam por estudar matemática ou engenharia no ensino superior.

“Estou muito orgulhoso de nossa equipe de P&D e dos muitos exemplos de nossas incríveis mulheres nas ciências. Embora hoje seja o Dia Internacional das Mulheres e Meninas nas Ciências, garantir que mais mulheres escolham carreiras nas áreas STEM não é algo que deva ser discutido apenas em um único dia”, disse o Diretor de P&D da Unilever, Richard Slater.

“Meu pedido é para todos nós que trabalhamos nas áreas STEM, especialmente aqueles em funções de liderança, que consideremos como podemos fazer com que mais meninas e jovens mulheres se interessem pelas áreas STEM desde cedo e como podemos melhorar o nível de envolvimento e apoio em toda sua formação, estágios e carreiras. É essencial ter diversidade em posições de gestão e de liderança dentro das áreas STEM, não apenas como uma fonte de maior criatividade e inovação, mas também para garantir que existam exemplos a serem seguidos para inspirar aqueles que estão iniciando suas carreiras, como a próxima geração de líderes”, ele acrescenta.

Mais exemplos, menos estereótipos

Os estereótipos de gênero enraizados e o preconceito de gênero costumam ser parte do problema. Diz-se que não podemos ser o que não podemos ver. E com pesquisas recentes descobrindo que apenas 12% dos personagens de filmes com empregos nas áreas STEM são interpretados por mulheres, fica bem claro que está na hora de colocar em destaque mais exemplos a serem seguidos.

Isso é exatamente o que estamos fazendo aqui, para marcar o Dia Internacional das Mulheres e Meninas nas Ciências da ONU.

Conheça Sueli, cujo sonho de infância era trabalhar na perfumada fábrica de sabonetes da Unilever perto de sua casa. Anos depois, ela traz inovações em produtos para o mercado com sua impressionante experiência em química.

Conheça Erica, que é apaixonada por garantir que as mulheres tenham acesso a informações precisas ao fazer suas escolhas de produtos para cuidar da pele - não promessas vazias, mas fatos cientificamente comprovados.

Navegue pelos perfis dessas três mulheres para conhecer suas histórias e de outras nove mulheres incríveis que trabalham com ciências na Unilever.

Karina: Rompendo estereótipos

A photo of Karina Zimerfeld, a woman working in science at Unilever

“Que eu me lembre, sempre tive curiosidade em encontrar soluções para os problemas da vida. Aprendi a não aceitar o estereótipo e as expectativas impostas às mulheres. Questionar o estereótipo de como deveria ser a aparência de um cientista foi minha maior receita para o sucesso”.

“Trabalho como cientista alimentar há 22 anos. Uma das coisas que adoro no meu trabalho é poder trabalhar com tantas mentes brilhantes, dentro da Unilever e em nosso ecossistema mais abrangente. É incrível ver a inventividade e a ruptura de estereótipos que indivíduos alinhados em torno do mesmo objetivo podem criar”.

Karina Zimerfeld é Vice-Presidente de P&D em nossa divisão Unilever Food Solutions, em nosso Centro de Inovação Hive Foods na Holanda.

Serena: Seguindo sua paixão

A photo of Serena Pezzia, a woman working in science at Unilever

“O maior desafio que já enfrentei em minha jornada nas ciências foi o preconceito inconsciente de algumas das minhas professoras. Como eu também era muito boa em literatura e em línguas, elas acharam estranho que eu quisesse estudar química farmacêutica, então questionavam minha escolha”.

“Decidi seguir minha paixão. E eu definitivamente não me arrependo de ter feito isso. Tenho a chance de me renovar a cada dia aprendendo, desenvolvendo novas tecnologias e resolvendo novos problemas”.

Serena Pezzia é Líder de Campo em nossa unidade de P&D em Casale, Itália.

Sueli: Um sonho que virou realidade

A photo of Suelli Cagliari, a woman working in science at Unilever

“Entrei para a equipe de P&D da Unilever há 24 anos; cresci em Valinhos, uma pequena cidade no Brasil onde está localizada uma das maiores fábricas de sabão da Unilever. Quando criança, eu costumava olhar pelas janelas da fábrica quando passava por lá com minha mãe, observando as pessoas trabalhando nas linhas de produção e sentindo o cheiro das fragrâncias maravilhosas. Eu dizia para minha mãe que um dia gostaria de me tornar uma química para poder trabalhar lá também”.

“Enfrentei muitos desafios pelo caminho e fiz uma pausa na carreira quando tive meus filhos. Acabei sendo contratada pela Unilever e meu sonho se tornou realidade. Desde então, tenho visitado nossas fábricas em todo o mundo e ainda sou tão apaixonada como sempre pelo meu trabalho”.

Sueli Cagliari é Gerente de P&D de Beleza & Cuidados Pessoais na sede em Valinhos, Brasil.

Rosela: A gourmet

A photo of Rosela de los Reyes, a woman working in science at Unilever

“Sempre fui apaixonada pelas ciências e por comida. Então, não é nenhuma surpresa que eu tenha escolhido esta carreira e sou grata por trabalhar na área pela qual sou apaixonada”.

“Como uma pessoa de P&D, sempre apliquei as ciências em meu trabalho. Para encontrar melhores soluções ou criar e desenvolver novos produtos, sempre há alguma ciência por trás disso. As ciências desbloquearam muitos aprendizados para mim e é uma jornada contínua. As ciências são a base do meu trabalho e a fonte da minha criatividade”.

Rosela de los Reyes é Gerente Sênior de P&D em nossa divisão de Sorvetes, na sede em Manila, nas Filipinas.

Sarah: A mentora

A photo of Sarah Leech, a woman working in science at Unilever

“Como começar nas ciências? Apenas tente fazer alguma coisa. Você não precisa ter tudo planejado no início da sua carreira. Mas tente, aprenda e veja até onde você poderá chegar em seguida”.

“Construa sua rede de contatos. Observe as pessoas que você admira, faça contato e pergunte se elas estariam dispostas a ser suas mentoras. Lembre-se que um dia você pode fazer o mesmo pelos outros. E mantenha a curiosidade. É o que vai manter o seu entusiasmo ao longo da sua carreira e levar você a descobrir coisas novas e diferentes”.

Sarah Leech é Diretora de P&D em nosso Centro de P&D em Port Sunlight, no Reino Unido.

Asya: A cientista de dados

A photo of Asya Ilhan, a woman working in science at Unilever

“Tenho muito orgulho de ser uma mulher que trabalha como cientista. E para qualquer jovem mulher, eu digo: se trabalhar com ciências é o que você quer, vá em frente. Seja como for”.

“É verdade que a maioria dos colegas será de homens. Isso pode parecer desanimador. Mas essa é exatamente a razão pela qual mais mulheres são necessárias para a área das ciências”.

“Sou cientista de dados e minha paixão é trazer soluções digitais para problemas complexos. Ver como o resultado do meu trabalho surpreende as pessoas e causa um impacto, definitivamente vale a pena todo o meu trabalho árduo”.

Asya Ilhan é Cientista de Dados em nosso Centro de Inovação Hive Foods na Holanda.

Vezekile: Melhorando vidas

Vezekile: Melhorando vidas

“Meu objetivo principal na vida é usar as ciências para melhorar a vida das pessoas sem nossas comunidades, especialmente dos pobres e marginalizados”.

“Sou a 20ª entre 21 filhos, em uma família polígama, criada em vilas rurais remotas. Depois de obter um doutorado em engenharia química, ajudei outras pessoas, promovendo carreiras científicas para estudantes de origens desfavorecidas e fundando uma empresa social que ajuda mulheres idosas”.

Vezekile Dladla é Gerente Assistente do Consumer Technical Insights, na sede em Durban, África do Sul.

Intan Shuhada: A pensadora criativa

A photo of Intan Shuhada Md Yunus, a woman working in science at Unilever

“As ciências têm tudo a ver com a descoberta e o pensamento criativo. Ajuda muito a ampliar sua compreensão e apreciação do mundo ao seu redor. Te equipa com excelentes aptidões para a resolução de problemas e habilidades extremamente transferíveis”.

“O campo das ciências é um campo vasto e diz respeito a quase tudo o que nossos olhos podem e não podem ver. É vital garantir a sobrevivência do nosso planeta, desenvolvendo soluções novas ou alternativas para tudo o que fazemos. Sua contribuição como futura cientista pode desempenhar um papel fascinante e essencial nisso”.

Intan Shuhada Md Yunus é Gerente Assistente de Assuntos Regulatórios, na sede em Kuala Lumpur, Malásia.

Neetu: Protegendo o planeta

A photo of Neetu Verma, a woman working in science at Unilever

“O que mais me entusiasma no meu trabalho é a diferença que ele faz na vida das pessoas ao simplificar os desafios do dia a dia. Trabalhar com ciências pode ser difícil às vezes, mas é uma ótima maneira de manter a motivação e encontrar pessoas que te inspirem”.

“É essencial despertar o interesse e aumentar o envolvimento das meninas no campo das ciências e inovações futuras. Para as jovens mulheres, eu diria: não deixe ninguém tirar sua imaginação, sua criatividade e sua curiosidade”.

“Com uma necessidade emergente de tornar este planeta mais seguro para a sobrevivência humana e a sustentabilidade, precisamos que mais e mais mulheres se apresentem e contribuam nas áreas de STEM”.

Neetu Verma é Líder de Negócios à Nível de País, P&D, na sede em Mumbai, Índia.

Erica: A especialista em cuidados com a pele

A photo of Erica Liang, a woman working in science at Unilever

“O mundo está enfrentando uma crise ambiental e de saúde sem precedentes. O maior desastre econômico desde a grande depressão. Somente através do desenvolvimento das ciências podemos resolver esses problemas difíceis, promover o desenvolvimento econômico e social e levar às pessoas uma vida feliz e saudável”.

“Assim como nosso mundo, nossa pele também está enfrentando novos desafios. Luz azul, poluição e estresse psicológico, por exemplo. E, às vezes, as redes sociais levam às pessoas a encontrar informações erradas sobre como tratar tudo isso. Acredito que, como cientista de cuidados com a pele, temos a responsabilidade e a oportunidade de educar os consumidores com o conhecimento certo para que possam selecionar os produtos certos”.

Erica Liang é Gerente Sênior de P&D, na sede em Xangai, China.

Sarah: A visionária

A photo of Sarah Schueddekopf, a woman working in science at Unilever

“O que eu amo nas ciências é poder trazê-las à vida em um produto e fazer a diferença em suas propriedades, desempenho, qualidades sensoriais ou design. Ciências significa fazer as perguntas certas, com base em nossa intuição. É usar dados e informações. São hipóteses. Experimentação”.

“Hoje em dia, a ciência de dados e a modelagem digital trazem novas possibilidades e oportunidades para nutrir o triângulo de intuição, experiência e fatos. Isso está impulsionando o desenvolvimento de produtos para um planeta melhor, e as pessoas tornam esse trabalho significativo e relevante. Produtos melhores para todos precisam vir de todos”.

Sarah Schueddekopf é Chefe de P&D para a região DACH (Alemanha, Áustria e Suíça) em nossa divisão de Beleza & Cuidados Pessoais, na sede em Hamburgo, Alemanha.

Babita: A aventureira

A photo of Babita Baruwati, a woman working in science at Unilever

“A jornada para chegar até onde estou hoje foi uma aventura. Cresci em uma família de renda muito baixa em uma área remota no nordeste da Índia nas décadas de 80 e 90. Fui a primeira da minha família a se formar, mas, naquela época, uma carreira para uma mulher não era uma prioridade. E uma carreira nas ciências, muito menos”.

“Depois de terminar meu mestrado em física teórica, iniciei outra aventura: fazer meu doutorado em um laboratório de química que era dominado por homens. Fiz de tudo para me mostrar tão boa quanto eles, apesar de sua falta de apoio. Por fim, consegui uma colocação nos EUA, onde aprendi os benefícios de trabalhar em um ambiente diversificado e o valor da colaboração. Publiquei 15 artigos e registrei três patentes”.

“Agora, na Unilever, meu cargo envolve o desenvolvimento de um ecossistema de inovação para P&D. Olhando para trás, para o quão longe eu cheguei, tudo parece um sonho”.

Babita Baruwati é Gerente de Inovação Aberta, na sede em Bangalore, Índia.