1940 - 1949: Focalizando nas necessidades locais

Durante os anos de guerra, a Unilever é efetivamente separada, com negócios em territórios ocupados pela Alemanha e Japão separados de Londres e Rotterdam.

Boys queuing for free Lifebuoy washrooms in the 1940s

Isso leva ao desenvolvimento de uma estrutura empresarial na qual os negócios da Unilever local agem com um maior nível de independência e foca nas necessidades dos mercados locais.

Depois da guerra, os interesses da Unilever na Europa Oriental são perdidos com a nacionalização e controle exercido pela União Soviética. O mercado chinês é afetado de forma semelhante.

Mesmo assim, durante a década de 40, a Unilever continua a se expandir no mercado de alimentos. Novos negócios com uma ampla variedade de produtos são adquiridos e os recursos são colocados na pesquisa e desenvolvimento de novos materiais e técnicas de produção.

Destaques

1941

Durante a Blitz, o sabão Lifebuoy fornece um serviço de lavagem de emergência gratuito para londrinos. As vans do Lifebuoy equipadas com chuveiros aquecidos, sabão e toalhas visitam áreas atacadas por bombas da capital para oferecer estruturas de lavagem móvel extremamente necessárias.

1943

A Unilever se torna a maior acionista na Frosted Foods, que possui a Birds Eye e os direitos no Reino Unido sobre um método de preservação de alimentos novo para mercados de massa, a ultracongelação. Anos depois, o congelamento irá passar por um ressurgimento de popularidade quando é mostrado ser uma das melhores formas de preservar naturalmente a qualidade do alimento fresco. Na mesma época, a Unilever adquire a Batchelor's, especializada em vegetais liofilizados e alimentos enlatados.

1945

No final da guerra, a Unilever pode retomar o controle de sua rede internacional, embora permaneça excluída da Europa Oriental e China. A descentralização dos negócios que foi inevitável durante a época de guerra continua como uma decisão política.

1946

A Birds Eye lança a primeira ervilha congelada no Reino Unido. Nesta época, carnes, peixes, sorvetes e produtos enlatados são responsáveis por apenas 9% do faturamento total da Unilever.

Voltar ao topo