1. Home
  2. ...
  3. O Plano de Sustentabilidade da Unilever
  4. Igualdade no Local de Trabalho

O Plano de vida sustentável da Unilever para

Igualdade no Local de Trabalho

Garantir a igualdade no local de trabalho é assegurar que todas as pessoas que trabalham conosco sejam tratadas com respeito.

Milhões de pessoas trabalham nas nossas operações e na cadeia de suprimentos ampliada, ajudando-nos a criar os produtos que bilhões de pessoas consomem. Para nós, a igualdade no local de trabalho está relacionada a respeito e, indo além, a direitos humanos – em todos os locais onde atuamos e em tudo o que fazemos.

O princípio que nos orienta é que os negócios só podem florescer em sociedades nas quais os direitos humanos são respeitados, ampliados e mantidos. Acreditamos que respeitar e promover os direitos humanos é o fundamento para uma empresa saudável, sustentável e igualitária, sendo essencial para a manutenção de bons relacionamentos com todos de quem dependemos. Tudo isso está refletido no Plano de Sustentabilidade da Unilever e em muitas áreas desse Relatório de Sustentabilidade, incluindo Fornecimento Sustentável,, Oportunidades para mulheres e Negócios inclusivos.

Por meio do trabalho descrito na seção ““Igualdade no Local de Trabalho”” deste relatório, procuramos contribuir para a realização de alguns dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) da ONU, principalmente: Saúde e bem-estar (ODS 3), Trabalho decente e crescimento econômico (ODS 8) e Redução das desigualdades (ODS 10). Respaldando a conquista desses objetivos está o ODS 17 (Parcerias e meios de implementação). Confira nosso Relatório de direitos humanos (PDF | 10MB) e saiba como nossas atividades apoiam outros ODSs.

Trabalhando em parceria com outros agentes e por meio de um processo de aprimoramento contínuo, pretendemos garantir igualdade no local de trabalho para todas as pessoas com as quais trabalhamos.

A nossa estratégia

Promoveremos a igualdade no local de trabalho assegurando novos progressos em direitos humanos em todas as nossas operações e em nossa cadeia de suprimentos estendida.

Worker on production line

Por que a igualdade no local de trabalho é importante para nós

Queremos exercer um impacto social positivo e obter crescimento dos negócios – os dois objetivos são fundamentais para o nosso propósito como empresa. A igualdade no local de trabalho é um elemento vital para que as pessoas continuem confiando em nossa empresa e está diretamente relacionado ao nosso direito de operar e à reputação da Unilever e das nossas marcas. Ele contribui para a continuidade dos negócios e para atrair e reter os melhores talentos, além de aumentar a produtividade e criar valor para os acionistas no longo prazo. Definimos diversas metas para a promoção do avanço em direitos humanos e para melhorias na saúde e na segurança dos nossos funcionários.

Nossa abordagem dos direitos humanos

Nosso objetivo é respeitar e promover os direitos humanos de três formas:

  • Em nossas operações, respeitando nossos valores e normas.
  • Em nossas relações com fornecedores e outros parceiros comerciais.
  • Trabalhando em iniciativas externas, como o Pacto Global da ONU, o Consumer Goods Forum e o Institute of Human Rights and Business, para citar apenas alguns.

Nós nos concentramos nas questões de direitos humanos mais relevantes, ou seja, aquelas com maior risco de impacto negativo às nossas atividades ou aos nossos relacionamentos comerciais.

Essa abordagem está alinhada com Princípios orientadores sobre empresas e direitos humanos endossados pela ONU em 2011. Usamos os princípios orientadores como sustentáculo dos nossos altos padrões de comportamento corporativo. Eles nos ajudam a identificar e combater causas sistêmicas de abuso e a trabalhar de modo colaborativo e franco com outros agentes. Continuamos alinhando as nossas políticas aos princípios orientadores da ONU, como, por exemplo, na solidificação do nosso Código de princípios empresariais e da nossa Política interna do Código de respeito, dignidade e tratamento justo.

As nossas políticas e os nossos códigos orientam os requisitos de conformidade interna e externa em toda a nossa cadeia de valor. Nossa estrutura de remuneração justa estabelece os princípios que requeremos que todas as nossas empresas cumpram até 2020 – e inclui a ambição de garantir a todos os funcionários um salário fixo acima da remuneração suficiente até 2018. Mais informações sobre Remuneração justa.

A nossa abordagem da saúde e segurança

Melhorar a saúde, a segurança e o bem-estar dos nossos funcionários é essencial ao tratamento justo no local de trabalho. Infundimos segurança no comportamento dos nossos funcionários e no projeto de unidades e produtos, guiados por uma visão de zero: Zero acidente fatal; zero ferimento; zero acidente de trânsito; zero acidente de processo; e tolerância zero a comportamentos e práticas inseguros.

Isso caminha lado a lado com o nosso objetivo de promover, manter e melhorar a saúde dos nossos funcionários, para elevar ao máximo sua capacidade de trabalhar com segurança e eficácia. Queremos exercer impacto positivo sobre a saúde e o bem-estar dos funcionários visando a benefícios para as pessoas e a empresa, por meio de programas de promoção e proteção da saúde. A nossa estratégia de medicina e saúde ocupacional se concentra na promoção do bem-estar emocional, físico, mental e de propósitos dos funcionários e na prevenção contra problemas de saúde ocupacional.

O nosso compromisso

Até 2020, promoveremos o tratamento justo no local de trabalho aumentando mais o respeito aos direitos humanos em todas as nossas operações e na cadeia de suprimentos estendida, desenvolvendo um roteiro de melhoria contínua e promovendo melhores práticas. Criaremos uma estrutura de remuneração justa e ajudaremos os funcionários a adotar medidas para melhorar sua saúde (física e mental), sua nutrição e seu bem-estar. Reduziremos os acidentes com e sem ferimentos em nossas fábricas e escritórios.

Avanços obtidos até o momento

Em nosso primeiro Relatório de direitos humanos (PDF | 5MB), em 2015, explicamos como e por que identificamos as oito questões de direitos humanos mais relevantes. À luz disso, priorizamos a necessidade de abordar os impactos sobre os direitos humanos da nossa empresa e da cadeia de suprimentos estendida, com foco em commodities e países específicos. Descrevemos nosso progresso em nosso segundo Relatório de direitos humanos (PDF | 10MB), publicado em dezembro de 2017.

A equipe de Sustentabilidade social integrada da nossa cadeia de suprimentos (formada em 2016) orienta nossa estratégia e defesa de direitos humanos. Por meio de uma série de atividades de implementação em 2017††, continuamos a integrar os direitos humanos, com foco nas oito questões relevantes de direitos humanos, documentadas em nosso Relatório de direitos humanos de 2015 e 2017.

Também atualizamos a nossa Política de responsabilidade em suprimentos (PRS) (PDF | 9MB), que define o nosso compromisso de fazer negócios com fornecedores que estão tentando garantir transparência, resolver problemas e promover melhoria contínua na área de sustentabilidade em suprimentos. 55%*das despesas com aquisições ocorreram por meio de fornecedores que cumprem os requisitos obrigatórios da nossa RSP em 2017. Em paralelo, atualizamos e alinhamos nossa Política de parceiros comerciais responsáveis (PDF | 3MB) com a PRS. Também publicamos nossa primeira Declaração contra a escravidão moderna e o tráfico de pessoas (PDF | 2MB), e a segunda foi publicada no segundo trimestre de 2018.

Em abril de 2017, criamos uma nova orientação para fusões, aquisições e joint ventures (a orientação fornece uma estrutura para nos ajudar a integrar a questão dos direitos humanos nos seguintes estágios do processo: pré-transação, devida diligência, negociação de contrato e administração pós-aquisição/joint venture).

Continuamos progredindo em nossa Estrutura de remuneração justa (PDF | 449KB), que define como os vários elementos dos nossos pacotes de remuneração oferecem remuneração justa. Tornamo-nos mais ambiciosos com relação a um elemento específico da Estrutura: o princípio da remuneração suficiente, antecipando nossa meta de 2020 para 2018. Estamos usando a Fair Wage Network para entender melhor a questão da remuneração suficiente e comparar a remuneração dos nossos funcionários nos níveis hierárquicos mais baixos com os limites relevantes de remuneração suficiente.

Nosso programa de saúde Lamplighter, os workshops de bem-estar Thrive e os novos workshops Purpose, além da nossa estratégia de segurança Visão zero, indicam que continuamos melhorando a saúde e a segurança das nossas equipes. Cerca de 75.000 funcionários em 74 países se inscreveram no Lamplighter, e nossa taxa de acidentes melhorou para 0,89† acidentes por milhão de horas (medida como Taxa de frequência de acidentes registráveis).

Futuros desafios

Os direitos humanos e o nosso trabalho para incorporar e promover o respeito a eles não podem ser separados das condições políticas e econômicas em transformação nos mercados nos quais atuamos. A rápida mudança nos ambientes políticos no mundo todo continua gerando novos problemas de direitos humanos ou acentuando os já existentes.

Estamos observando os possíveis impactos dos avanços na tecnologia nos direitos humanos – o que é, às vezes, chamado de Quarta revolução industrial. O uso da tecnologia – especialmente a digital – pode trazer mais transparência e agilidade para identificar os problemas enfrentados pelos trabalhadores. Assim, poderemos nos concentrar na correção, prevenção e práticas recomendadas. Mas precisamos nos certificar de que o avanço tecnológico não comprometa os direitos dos trabalhadores.

E precisamos continuar resolvendo as questões mais relevantes no respeito a alguns direitos, como assédio e escravidão moderna.

Resolver questões relevantes de direitos humanos em nossa cadeia de valor nos ajuda a construir um negócio mais resiliente. Continuaremos argumentando em favor da moral e do negócio e sua justificativa, fortalecendo nossas capacidades internas e a capacidade de nossos fornecedores e de outros parceiros comerciais de resolver suas próprias questões. Recebemos bem e promovemos um número cada vez maior de requisitos de transparência para criar uma mudança fundamental positiva.

Auditado pela PwC

†† A descrição das atividades de implementação foram auditadas pela PwC . Confira Base de preparo da Unilever (PDF | 6MB) e obtenha a descrição das atividades.

* Como, em 2017, corrigimos o modo como avaliamos a conformidade com a PRS, não é possível comparar os números dos anos anteriores

Downloads

Relatório de direitos humanos 2017 (PDF | 10MB)


Clique para mais informações sobre Tratamento justo no local de trabalho

Metas e desempenho

No contexto do pilar de Igualdade no local de trabalho do Plano de Sustentabilidade da Unilever, definimos metas ambiciosas para avanços em direitos humanos, remuneração justa, melhorias de saúde, nutrição e bem-estar dos funcionários e redução de acidentes com e sem ferimentos no trabalho.

Igualdade no local de trabalho
O nosso compromisso

Até 2020, promoveremos a igualdade no local de trabalho aumentando mais o respeito aos direitos humanos em todas as nossas operações e na cadeia de suprimentos estendida, desenvolvendo um roteiro de melhoria contínua e promovendo melhores práticas. Criaremos uma estrutura de remuneração justa e ajudaremos os funcionários a adotar medidas para melhorar sua saúde (física e mental), sua nutrição e seu bem-estar. Reduziremos os acidentes com e sem ferimentos em nossas fábricas e escritórios.

O nosso desempenho

Por meio de uma série de atividades de implementação em 2017††, continuamos a integrar os direitos humanos, com foco nas oito questões relevantes de direitos humanos, documentadas em nosso Relatório de direitos humanos de 2015 e 2017. Para apoiar esse processo, integramos a nossa área de Direitos Humanos à de Cadeia de Suprimentos. 55%†* das despesas com aquisições ocorreram por meio de fornecedores que cumprem os requisitos obrigatórios da nossa Política de responsabilidade em suprimentos.

Continuamos progredindo em nossa Estrutura de remuneração justa (PDF | 449KB), que define como os vários elementos dos nossos pacotes de remuneração oferecem remuneração justa. Demos destaque ao elemento da remuneração suficiente da Estrutura para garantir a todos os 161.000 funcionários um salário fixo acima da remuneração suficiente até 2018, em vez de 2020.

74 países realizaram nosso programa de saúde Lamplighter, e nosso desempenho de segurança (Taxa de frequência de acidentes registráveis) foi de 0,89† acidentes por milhão de horas trabalhadas, um aprimoramento com relação à 2016. Reforçamos continuamente a nossa estratégia Visão zero, com foco em programas de treinamento em liderança em segurança e segurança de processos.

A nossa perspectiva

Continuamos a integrar os direitos humanos, com foco nas oito questões relevantes (ou seja, aquelas com impacto negativo mais grave nas atividades ou relações comerciais da Unilever) descritas em nosso Relatório de direitos humanos de 2015 e 2017. Continuamos a nos concentrar na erradicação do trabalho forçado nas cadeias de suprimentos globais por meio de auditorias de suprimentos, aumento da conscientização e eventos de treinamento, além de termos progredido na eliminação da cobrança de taxas de recrutamento de trabalhadores por meio do Grupo de liderança para recrutamento responsável e do Consumer Goods Forum. Entramos para a Ethical Tea Partnership com objetivo de proporcionar melhorias para os trabalhadores e produtores rurais de chá e criamos o Guia de princípios de direitos da terra e orientação de implementação da Unilever.

Continuamos implantando a Política de responsabilidade em suprimentos para um número cada vez maior de fornecedores, ao mesmo tempo em que examinamos e melhoramos continuamente a operação do nosso programa desde sua introdução, em 2014. Estamos usando o que aprendemos para acelerar a inclusão de todos os nossos fornecedores, aprimorando a correção dos problemas identificados.

Para os funcionários, além de implantar a nossa estrutura de remuneração justa, mantivemos o programa de saúde Lamplighter e os workshops Thrive, projetados para ajudá-los a aumentar o seu nível de bem-estar. Também continuamos a reforçar a nossa estratégia Visão zero (zero acidente fatal, zero ferimento, zero acidente de trânsito, zero acidente de processo, tolerância zero a comportamentos e práticas inseguros), e o nosso desempenho em segurança melhorou em relação a 2016.

††A descrição das atividades de implementação foi auditada pela PwC. Confira Base de preparo da Unilever (PDF | 6MB) e obtenha a descrição das atividades

Auditado pela PwC

*Como, em 2017, corrigimos o modo como avaliamos a conformidade com a PRS, não é possível comparar os números dos anos anteriores


  • Alcançado

  • Dentro do Prazo

  • Fora do Prazo

  • %

    Do objetivo alcançado

Key
  • Alcançado

    .

  • Dentro do Prazo

    .

  • Fora do Prazo

    .

  • %

    Do objetivo alcançado

    .

As nossas metas

Consulte Auditoria externa para obter mais detalhes sobre o nosso programa de auditoria do Plano de Sustentabilidade da Unilever.

Implementação dos princípios orientadores sobre empresas e direitos humanos da ONU

Implementaremos os princípios orientadores sobre empresas e direitos humanos da ONU em todas as nossas operações e publicaremos relatórios sobre os nossos avanços nessa área.

Por meio de uma série de atividades implementadas em 2017††, continuamos a integrar os direitos humanos, com foco nas oito questões relevantes de direitos humanos, documentadas em nosso Relatório de direitos humanos de 2015 e 2017.


A nossa perspectiva

Em nosso Relatório de progresso em direitos humanos de 2017, mostramos os avanços conquistados nas questões mais relevantes de direitos humanos desde 2015 e como estamos abordando questões emergentes, além de fornecer uma atualização sobre como vemos o desenvolvimento de nossa abordagem no futuro.

O reposicionamento de nossa equipe de sustentabilidade social integrada para abranger regiões estratégicas melhorou a implementação da nossa estratégia de direitos humanos. Um importante foco em 2017 foi nosso esforço para erradicar o trabalho forçado nas cadeias de suprimentos globais, incluindo séries de webinários para o público interno, artigos para aumentar a conscientização, eventos e iniciativas para eliminar a cobrança de taxas de contratação dos trabalhadores.

Para continuar fazendo frente a questões de terra, desenvolvemos o guia de princípios de direitos da terra e orientação de implementação, que estamos implantando em nossas operações em 2018. Outro foco tem sido a abordagem de questões de direitos humanos em fusões, aquisições e joint ventures, com a criação de orientação interna nesse sentido em abril de 2017.

†† A descrição das atividades de implementação foi auditada pela PwC. Confira Base de preparo da Unilever (PDF | 6MB) e obtenha a descrição das atividades.

Promoção dos direitos humanos em nossas operações próprias

Destinação de 100% das despesas com compras conforme a Política de Fornecimento Sustentável

Destinaremos 100% das nossas despesas com compras a fornecedores que se comprometam a promover os direitos humanos conforme a nossa Política de Fornecimento Sustentável.

55% * das despesas com aquisições destinadas a fornecedores que cumprem os requisitos obrigatórios da nossa Política de Fornecimento Sustentável em 2017.


A nossa perspectiva

Em 2017, nossas compras de mercadorias e serviços superaram a marca dos € 34 bilhões. Os fornecedores dessas mercadorias e desses serviços são fundamentais para a promoção de eficiência para aumentar a lucratividade e nos ajudam a implementar o Plano de Sustentabilidade da Unilever.

Em 2017, iniciamos uma revisão do que aprendemos com a Política de responsabilidade em suprimentos (PRS) desde sua introdução, em 2014, visando aprimorar nossa abordagem e aumentar o número de fornecedores comprometidos com os requisitos da política.

Nossa revisão resultou em requisitos de verificação e correção aprimorados, processos mais elaborados de conformidade antissuborno e anticorrupção, além de uma forma mais eficiente de avaliar a conformidade com a política. Com essa avaliação de conformidade revisada, 55%*das nossas despesas com aquisições ocorreram por meio de fornecedores que cumprem os requisitos obrigatórios da RSP em 2017.

Auditado pela PwC

*Como, em 2017, corrigimos o modo como avaliamos a conformidade com a PRS, não é possível comparar os números dos anos anteriores

Promoção dos direitos humanos em conjunto com fornecedores

Criação de uma estrutura de remuneração justa

  • Criaremos uma estrutura de remuneração justa, a começar por uma análise em 180 países até 2015.

Trabalharemos em conjunto com outras organizações, incluindo nossos parceiros sociais, tratando de abordagens como metodologias de remuneração suficiente.

Por meio de uma série de atividades††, criamos uma Estrutura de remuneração justa em 2015, e a implantamos em 2016. Usamos a The Fair Wage Network para a obtenção de um banco de dados global de referências relevantes de remuneração suficiente para cada país no qual atuamos. Isso nos possibilita comparar a remuneração fixa de funcionários com cargos não gerenciais com os níveis de referência de remuneração suficiente relevantes.


A nossa perspectiva

A nossa estrutura de remuneração justa é uma forma estruturada pela qual a Unilever pode definir até que ponto os vários elementos dos nossos pacotes de remuneração oferecem remuneração justa para os funcionários. Queremos que a nossa empresa cumpra, no mundo todo, os princípios dessa estrutura, incluindo a garantia de não discriminação em remuneração, até 2020. Em 2017, demos destaque ao elemento da remuneração suficiente da estrutura para garantir a todos os 161.000 funcionários um salário fixo acima da remuneração suficiente até 2018, em vez de 2020.

Usamos a The Fair Wage Network para a obtenção de um banco de dados global de referências relevantes de remuneração suficiente para cada país no qual temos funcionários. Isso nos proporciona um sistema e uma metodologia contínuos para o monitoramento das recompensas oferecidas aos funcionários à luz das referências relevantes de remuneração suficiente e apoio aos esforços de conformidade com a estrutura em nossas empresas em todas as regiões do mundo. No Reino Unido, publicamos nosso primeiro relatório de diferença de remuneração entre os gêneros.

†† A descrição das atividades foi auditada pela PwC. Confira Base de preparo da Unilever (PDF | 6MB) e obtenha a descrição das atividades.

Remuneração justa

Melhoria da saúde, da nutrição e do bem-estar dos funcionários

O objetivo do nosso programa Lamplighter, voltado para os funcionários, é melhorar a sua nutrição, boa forma e resiliência mental. Até 2010, o programa já havia sido implementado em 30 países, alcançando 35.000 pessoas.



  • Em 2011, definimos o objetivo de estender o alcance do Lamplighter para mais oito países. Nós o implementaremos em outros 30 países entre 2012 e 2015. O nosso objetivo de longo prazo é estendê-lo para todos os países onde atuamos, oferecendo-o a mais de 100 pessoas.

O nosso programa Lamplighter alcançou 91.000 funcionários em 70 países até 2014, atingindo a nossa meta um ano antes do prazo. Em 2017, o programa alcançou 74 países.


  • Implementaremos globalmente uma estrutura de bem-estar mental.

Em 2015, concluímos a implantação do nosso novo módulo de bem-estar mental, que durou dois anos, e criamos um comitê diretor global para monitorar o progresso.


A nossa perspectiva

O nosso programa de saúde para os funcionários Lamplighter é um elemento fundamental para fazer frente aos três principais riscos de saúde em nossos negócios: bem-estar mental; fatores de estilo de vida (p. ex.: exercícios, nutrição, tabagismo, obesidade); e ergonomia (p. ex.: lesões por esforços repetitivos).

O programa Lamplighter ajuda a proteger a saúde dos funcionários, aumentar a produtividade e reduzir custos. O programa alcançou 91.000 funcionários em 70 países em 2014, cumprindo a nossa meta de alcançar 68 países um ano antes do prazo original. Em 2017, cerca de 75.000 funcionários em 74 países se inscreveram no programa (esse número flutua ano a ano, pois não abrangemos todos os funcionários anualmente).

Em 2015, implantamos o módulo de bem-estar mental da Unilever. Isso ajuda as pessoas a administrar a pressão, oferecendo orientação prática sobre como se concentrar e utilizar técnicas de meditação, a se sentirem mais empoderadas e trabalharem com mais rapidez. No período de 2015 a 2017, cerca de 50.000 funcionários realizaram um dos nossos workshops Thrive, cujo objetivo é ajudá-los a adotar práticas de bem-estar.

Melhorar a saúde e o bem-estar dos funcionários

Redução de acidentes com e sem ferimentos no local de trabalho

Nosso objetivo é atingir nível de zero acidente no local de trabalho. Até 2020, reduziremos a taxa de frequência de acidentes registráveis (TRFR) em nossas fábricas e escritórios em 50% em relação a 2008.

Mais de 50% de redução na TRFR atingida até 2017, partindo de 2,10 para 0,89† de acidente por milhão de horas trabalhadas em 2008.


A nossa perspectiva

A nossa Taxa de frequência de acidentes registráveis (TRFR) melhorou para 0,89† acidente por milhão de horas trabalhadas (medida de outubro de 2016 a setembro de 2017), com redução em relação à TRFR de 1,01 em 2016. Isso foi obtido com a manutenção contínua do foco em segurança em áreas de alto risco. Consideraremos a nossa meta plenamente atingida em 2020; até lá, o nosso desafio será manter o desempenho conforme as expectativas.

Também continuamos a reforçar a nossa estratégia Visão zero, ou seja, zero acidente fatal, zero ferimento, zero acidente de trânsito, zero acidente de processo, tolerância zero a comportamentos e práticas inseguros. Nas fábricas, nós nos concentramos na segurança dos processos por meio de normas e qualificações individuais mais sólidas, além do nosso programa para parceiros, o Safety to Win (Segurança para vencer). Em consequência dessas iniciativas, obtivemos uma redução de 46% nos incidentes de segurança de processo em comparação com os anos anteriores. Em nossas obras de construção, nós nos concentramos em um programa de treinamento global Work at Heights (Trabalho nas alturas) e, para viagens, continuamos promovendo a direção segura.

Criando uma empresa mais segura
Voltar ao topo