Redução do impacto de desastres e emergências

Pretendemos reduzir o impacto de desastres e emergências - em comunidades e em nossa empresa - por meio de parcerias focadas em estado de prontidão, socorro e reabilitação. A Unilever vem respondendo a desastres globais e a crises humanitárias há anos, fornecendo uma combinação de especialização corporativa, doações de produtos, suporte financeiro e colaborações de funcionários.

59 milhões: pessoas desalojadas por instabilidade política e social até o final de 2014 1

19 milhões: pessoas desalojadas por desastres naturais em 2014 2

A Unilever vem respondendo a desastres globais e a crises humanitárias há anos, fornecendo uma combinação de especialização corporativa, doações de produtos, suporte financeiro e colaborações de funcionários.

Hoje, os desastres naturais ocorrem com uma frequência cinco vezes superior à da década de 70. A gravidade de inundações, terremotos e tempestades está crescendo, assim como os impactos negativos em nosso planeta e em nossa gente. A mudança climática representa uma ameaça real e também estamos presenciando um nível crescente de instabilidade política e social. O resultado são milhões de pessoas no mundo enfrentando ameaças à sua segurança e ao seu bem-estar.

Essas crises também têm um impacto direto na Unilever, causando interrupções e instabilidade em nossa cadeia de fornecimento, em nossa logística e para nossos clientes. Dado o impacto da mudança climática, o custo dos desastres só aumentará.

Como uma empresa comprometida com o crescimento sustentável, pretendemos assegurar a mínima interrupção em nossas operações, ao mesmo tempo fornecendo suporte em épocas de crises globais, uma vez que a empresa não pode fechar os olhos para o mundo em que opera. Nosso suporte inclui a oferta de conhecimento sobre programação de mudança comportamental e gestão da cadeia de fornecimento, bem como doações de produtos, suporte financeiro e colaboração dos nossos mais de 170.000 funcionários do mundo.

Trabalhando com parceiros, nos concentramos em fornecer apoio em três níveis: preparação, socorro e reabilitação.

Preparação de comunidades, redes e cadeias de fornecimento

Nosso trabalho de preparação enfoca o entendimento de quais locais correm o maior risco, investimento em resiliência, garantia de colaboração entre setores e proteção das nossas cadeias de fornecimento.

Assegurar o funcionamento das redes entre os setores é fundamental tanto na preparação quanto na resposta a desastres e emergências. Setores públicos, privados e de ONGs devem continuar trabalhando em conjunto para melhorar a coordenação das respostas. Paul Polman, nosso CEO, está promovendo essa agenda representando o setor privado no International Oversight Group (IOG), constituído pelo Institute of Medicine para criar uma estrutura global de resposta a emergências. Também estamos promovendo o diálogo entre a comunidade corporativa sobre o papel que o setor privado pode desempenhar na resposta a desastres e emergências.

Em 2015, após um diálogo com o setor privado, nós, em conjunto com o Banco Mundial, em Davos, lançamos um relatório chamado Gestão do risco e do impacto de futuras epidemias: opções para cooperação entre público e privado (em inglês), que enfoca como o setor privado pode aproveitar melhor seu potencial na preparação para e durante futuros surtos epidêmicos.

Em nossa empresa, investimos em regiões com maior risco de serem afetadas por desastres. Isso inclui países vulneráveis à mudança climática, como as Filipinas, onde trabalhamos com a UNICEF para instruir as comunidades sobre a importância de boas práticas relativas água, saneamento e higiene (WASH), no intuito de evitar a transmissão de doenças após um desastre. Trabalhamos também com a Save the Children no Myanmar para ajudar na preparação e na resposta a desastres de forma rápida e efetiva, por meio da pré-distribuição de 3.000 kits para casa e higiene. Esses kits serão implantados no caso de um desastre e atendem a 18.000 pessoas.

Prestação de socorro emergencial rápido

©Chris de Bode/Save the Children

Quando ocorrem desastres ou emergências, uma resposta rápida pode fazer uma diferença crucial para as comunidades afetadas. Nossas colaborações para o esforço de prestação de socorro incluem programação de mudança comportamental e conhecimento em gestão da cadeia de fornecimento, doações de produtos, suporte financeiro e colaboração de funcionários do mundo todo, sendo essas contribuições equiparadas pela Unilever.

Desenvolvemos um kit de ferramentas que permite aos nossos escritórios globais e nacionais trabalhar com nossos parceiros para compreender quais são os recursos necessários e mapeá-los em relação a o que a empresa pode oferecer. Isso nos permite responder rápida e eficientemente em momentos de crise.

Quando surgiu a epidemia de Ebola em agosto de 2014, mobilizamos recursos no nível regional, compartilhando conhecimento e doações não financeiras e trabalhando com parceiros globais, incluindo o Department for International Development (DFID) do Reino Unido, a UNICEF, a Save the Children e a Population Services International (PSI). Como parte da nossa resposta, distribuímos 2,4 milhões de sabonetes em barra e 75.000 pacotes de detergente para roupas na Nigéria e na Libéria. Também realizamos um workshop para que o DFID compartilhe nosso conhecimento em campanhas de massa sobre mudança comportamental, num esforço de ajudar o DFID a implementar programas de mudança de comportamento nas áreas atingidas e reduzir drasticamente as taxas de infecção. Além disso, junto com diversos dos nossos parceiros globais, realizamos um apelo global para que funcionários fizessem doações, e equiparamos as contribuições.

Reabilitação: reconstrução de comunidades, economias e cadeias de valor

Aluno em um campo de refugiados

Quando as pessoas são atingidas por um desastre ou uma emergência, os impactos podem ser mais duradouros do que a crise inicial. Condições de vida, comunidades e economias podem ser duramente atingidas, motivo pelo qual apoiamos a reconstrução de cadeias de valor sustentáveis por meio de uma gama de programas de reabilitação que têm impactos positivos e de longo prazo na saúde. Por exemplo, temos apoiado o trabalho da Save the Children na resposta à crise de refugiados sírios, inclusive na Jordânia. Até o momento, a Save the Children atendeu a mais de 976.000 pessoas no Líbano, Jordânia, Iraque, Egito e Síria, abrangendo mais de 648.000 crianças. Com o suporte da equipe da Global Partnerships e contribuições de funcionários, a Unilever está ajudando a Save the Children a operar instalações como creches, centros de atividades e centros comunitários na Jordânia. Trata-se de lugares seguros e acolhedores onde as crianças e seus pais podem se reunir e recuperar a sensação de uma vida normal.

1 Fonte: Tendências globais: deslocamento forçado em 2014 (em inglês). Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, 2015

2 Fonte: Centro de Monitoramento do Deslocamento Interno, 2015

Voltar ao topo