A nutrição melhora o aprendizado e a memória das crianças em idade escolar

Uma equipe de cientistas europeus da Unilever, juntamente com colegas de institutos de pesquisa na Austrália e na Indonésia, demonstrou que a nutrição pode melhorar o aprendizado verbal e a memória das crianças em idade escolar.

Principais Descobertas

young boy drinking AdeS juice from carton

Em um estudo que levou 12 meses com 780 crianças da Austrália e da Indonésia, publicado no American Journal of Clinical Nutrition, os pesquisadores avaliaram os efeitos da adição de uma vitamina específica e uma mistura de minerais a uma bebida diária.

Na Austrália, as crianças que receberam a bebida diária com a adição de vitaminas e a mistura de minerais tiveram um resultado significantemente superior nas provas de desempenho mental do que as crianças do grupo de controle que receberam a bebida sem a adição de nutrientes. Na Indonésia, foi observada uma tendência similar, mas somente nas meninas.

Este estudo confirma que a nutrição pode influenciar de forma positiva o desenvolvimento cognitivo das crianças em idade escolar, inclusive o das crianças ocidentais, que estão bem alimentadas.

Detalhes do estudo

Os cientistas estudaram 396 crianças bem nutridas na Austrália e 384 mal nutridas na Indonésia. Em cada país, as crianças eram alocadas aleatoriamente em um dos quatro grupos, e recebiam uma bebida com uma mistura de micronutrientes (ferro, zinco, folato e vitaminas A, B-6, B-12 e C) ou com óleo de peixe (DHA e EPA), ou com as duas adições, ou sem nenhuma adição (placebo).

Após doze meses, as crianças da Austrália, que receberam a bebida com a mistura de nutrientes, demonstraram níveis mais altos destes micronutrientes no sangue, o que significa que seus corpos os estavam absorvendo. Além disso, tiveram melhores resultados em provas que mediam sua capacidade de aprendizado e sua memória em comparação com as crianças dos outros grupos. Uma tendência similar foi observada na Indonésia, mas somente nas meninas. A adição de óleo de peixe à bebida fortificada não mostrou de forma conclusiva nenhum efeito adicional na cognição.

O papel da nutrição no desenvolvimento mental das crianças

Este estudo acrescenta à crescente evidência que a nutrição desempenha um papel importante no desenvolvimento mental das crianças. Anteriormente, as deficiências em ferro e iodo foram relacionadas a problemas no desenvolvimento cognitivo nas crianças pequenas; existem inclusive novas evidências de que as deficiências de zinco e vitamina B 12 comprometem o desenvolvimento mental das crianças. Mais recentemente, os óleos de peixe (EPA, DHA) também foram associados ao desenvolvimento cognitivo das crianças.

A maior parte dos estudos até agora se concentrou nas deficiências em determinados nutrientes em faixas etárias jovens. Porém, o cérebro continua crescendo e se desenvolvendo durante a infância e a adolescência. Sabe-se muito pouco sobre o papel da nutrição no desenvolvimento mental depois da idade de 2 anos, e não foram muitos estudos que analisaram o efeito de se oferecer um mix de nutrientes. Até esta pesquisa, havia pouquíssimos estudos aleatórios de intervenção controlada que avaliassem o impacto da intervenção de micronutrientes múltiplos na função cognitiva das crianças em idade escolar.

Este estudo confirma que a nutrição pode influenciar de forma positiva o desenvolvimento cognitivo das crianças em idade escolar, inclusive o das crianças bem alimentadas. Os pesquisadores sugerem que esta descoberta pode ser de grande relevância no mundo ocidental.

Mais pesquisas

Cientistas recomendam a realização de mais pesquisas para investigar o papel exato do DHA e do EPA nas crianças saudáveis em idade escolar. O foco de outra pesquisa é a maior otimização dos testes de desenvolvimento cognitivo em relação à sua validade e sensibilidade entre as diferentes culturas. Os cientistas sugerem que os menores efeitos das vitaminas e minerais na Indonésia poderia ser um resultado de uma sensibilidade mais baixa dos testes cognitivos nesse país.

Este estudo foi realizado pelo grupo de estudo NEMO (Melhora da Nutrição para a Otimização Mental), que compreende o Instituto de Pesquisa Alimentar e da Saúde da Unilever (Vlaardingen, Países Baixos); CSIRO Human Nutrition (Adelaide, Austrália) e o Centro Regional SEAMEO-TROPMED para a Nutrição da Comunidade, a Universidade da Indonésia (Jakarta Pusat, Indonésia).

Voltar ao topo